Ada Neri com o último best-seller que leu: A tormenta de Espadas, da série As crônicas de gelo e fogo.


Thesca mostra uma pequena parte de sua coleção de livros 


Enraizado na cultura norte-americana, os best-sellers, como ficaram conhecidos os livros campeões de venda nas livrarias, ganharam dimensões planetárias. O termo rotula os livros mais procurados num determinado período por ter ganhado projeção positiva e às vezes até negativa entre os leitores. Quando a impressão é positiva, é fato que o livro ganha novas edições que dão continuidade à primeira história, o que gera curiosidade dos que se agradaram da primeira experiência. Daqui surgem as famosas trilogias literárias.

Os que já caíram na graça do público conseguem logo o anúncio de uma nova publicação, registrar filas e mais filas nas portas das livrarias onde os fãs querem a todo custo garantir o seu exemplar. Algumas das histórias narradas através das letras despertam o interesse da indústria cinematográfica e ganham as telas de projeção dos cinemas. E mais uma vez, filas e mais filas são registradas. Tudo para ganhar o status de ser o fã que leu ou assistiu a história entre os primeiros espectadores.

Tal comportamento vem dos adolescentes apreciadores de leituras fictícias cujas histórias, na maioria das vezes, envolvem casos de amor, vampirismo, bruxaria, ficção científica e etc. Temas abordados de forma lúdica e também cheios de romantismo. Os mais famosos e emblemáticos da indústria de livro e cinema são Harry Potter, Saga Crepúsculo, Star Wars, Gossip Girl, Diário de um Vampiro, dentre outros. Esse tipo de literatura pode vir a ser um estímulo aos jovens que não curtem as leituras adotadas na escola e, por consequência, se tornam vorazes leitores.

Quem tem o hábito de consumir literatura best-seller é a universitária de 22 anos de idade, Ada Neri. Desde os 13 ela diz ter iniciado sua incursão nesse universo das letras com os livros da Meg Capot, cujo mais é O Diário da Princesa. A lista das leituras que já fez é extensa e inclui, além dos já citados, o Cilada e Quando ela se foi, do autor Harlan Coben que estão entre os seus favoritos. Diz gostar muuuuuuito [a ênfase é da própria estudante] da saga de Geoge R. R. Martin, As crônicas do gelo e do fogo, Instrumentos Mortais, Orgulho e Preconceito (FAVORITOO!) [ênfase da estudante], A sombra do vento, O prisioneiro do céu, a maioria das obras da autora Agatha Christie e dos autores Sidney Sheldon, Harlan Coben, A batalha do apocalipse, Dragões de Éter, As crônicas dos Kane, Fortaleza Digital, Código da Vince, Anjos e Demônios. Os quatro últimos sendo do autor norte-americano Dan Brown. Uffa!!! Mas além desses, Ada diz não dispensar os clássicos da literatura nacional. “Ah! sou uma grande fã de José de Alencar e Machado de Assis”, revela.

Depois de um “pente-fino” na internet onde pesquisa os livros que deseja e ler os resumos dos mesmos, Ada afirma ter dificuldades de encontrar os exemplares nas prateleiras das livrarias de Teresina. “É impressionante! Eles [donos de livraria] costumam ter os livros mais famosos, aqueles que estão em alta. E mesmo esses, às vezes, é uma batalha pra conseguir. Parece que acaba e eles têm medo de encomendar mais e esses não venderem”, comenta descontente a estudante.

A assistente social Thesca Pereira também não dispensa os best-sellers. O que a motiva a consumir essa literatura é a fantasia que as histórias lhes proporcionam. “A vida da gente é sempre tão corrida, tantas atribulações e problemas que é sempre bom se refugiar em um mundo de magia”, revela.

Ter acesso aos livros de sua preferência esbarra, de acordo com ela, pelo preço cobrado pelas obras nas livrarias de Teresina. “Não seria encontrar o livro, mas ter acesso de fato a ele. Os livros são vendidos a preços altíssimos, enquanto na internet você encontra em promoção e acaba saindo mais em conta”, pontua. Na lista de seus preferidos está Harry Potter, Senhor dos Anéis, Saga Crepúsculo e As Relíquias da Morte Harry Potter que diz “amar de paixão” e se emociona a cada releitura, além do clássico da literatura brasileira Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis.

Todavia, há também os best-sellers com temática adulta. O que vem provocando alvoroço e despertando os sentidos mais reprimidos é a trilogia Cinquenta tons de cinza, de E. L. James. Tudo começa com o envolvimento, meio que por acaso, entre Anastasia Steele, estudante de 22 anos do curso de Jornalismo, quando entrevista Christian Grey, jovem empresário seis anos mais velho que a universitária. O envolvimento entre os protagonistas é instantâneo acompanhado da seguinte proposta: o amante sugere à garota um tratado de submissão em que ele teria o controle do prazer. Em linguagem direta: sadomasoquismo.

Essa trilogia também já teve a história comprada pelo cinema e em breve estará nas salas de projeções de Teresina. 




Comente!